fitas led qual fonte ideal

Fitas LED: Descubra qual fonte de alimentação ideal

Existem diversos modelos de fitas LED no mercado com diferentes potências em cada modelo, a seguir é possível conferir o consumo dos diferentes e principais modelos de fita LED e como calcular a fonte adequada para o seu projeto.

Modelo de fitaW /roloW /metroA /roloA /metro
Fita LED SMD3014 com 300 LEDs por rolo (60 LEDs /m)30W6W2,5A0,5A
Fita LED SMD3014 com 600 LEDs por rolo (120 LEDs /m)60W12W5A1A
Fita LED SMD5730 com 300 LEDs por rolo (60 LEDs /m)100W20W8,5A1,7A
Fita LED SMD3528 com 300 LEDs por rolo (60 LEDs /m)24W4,8W2A0,4A
Fita LED SMD3528 com 600 LEDs por rolo (120 LEDs /m)48W9,6W4A0,8A
Fita LED SMD5050 com 150 LEDs por rolo (30 LEDs /m)36W7,2W3A0,6A
Fita LED SMD5050 com 300 LEDs por rolo (60 LEDs /m)72W14,4W6A1,2A

Para calcular a fonte adequada você precisa multiplicar o consumo da fita pela quantidade de metros que você irá utilizar no projeto, por exemplo:

Para um projeto que utilize 7 metros da Fita LED SMD3528 com 300 LEDs (60 LEDs /m) o cálculo ficaria da seguinte forma:

7 (metros) x 0,4 (A) = 2,8A ou 7 (metros) x 4,8 (W) = 33,6W

Para saber o consumo em Amperes (A), divida a potência dada em Watts (W) pela Tensão utilizada em Volts (V).

Então nesse caso ficaria: 33,6W / 12V = 2,8A

Logo a carga do projeto é de 2,8A que é equivalente à 33,6W.

É sempre recomendado que a carga não ultrapasse 80% da capacidade máxima da fonte. Por isso, a fonte recomenda para essa instalação é de 3,5A. (2,8A / 0,8 = 3,5A)

É importante observar que para instalações que utilizem comprimentos maiores que 5 metros é necessário que a ligação das fitas seja em paralelo à fonte, respeitando o comprimento máximo de 5 metros ligados em série para evitar danos à fita LED.

A Fonte CFTV (FC) trabalha com fontes de variados modelos, colmeia ou eletrônicas ideais para uso em fitas led, caso tenha dúvidas, você pode entrar em contato com a nossa equipe, podemos indicar a fonte mais adequada para instalação de seu projeto.

FC Fontes – Vídeo Balun 4K para CFTV – Tecnologia PUSH

Transcrição do Vídeo:

Fala, pessoal, Meu nome é Douglas Maccari, aqui da ParkSeg Academy e hoje eu tô trazendo um vídeo muito legal do nosso parceiro FC Fontes.

Pra você que trabalha com toda a linha de CFTV analógico, você deve trabalhar, claro, com a parte de baluns. E a FC tá trazendo uma tecnologia muito incrível na parte dos baluns.

E eu convido a você a conhecer, junto comigo, toda essa tecnologia. Vamos lá?

Bom, pessoal, você já deve saber que toda a instalação de CFTV, o quanto é importante ter um balun de qualidade e, pra isso, a FC Fontes trouxe, aí, um balão com várias soluções, tecnologia e um superdesign.

Ela vem preparada pra algumas soluções e tecnologias incríveis, que é o caso primeiro, que é um balun 4K, mantendo aí qualidade na imagem para o seu projeto.

E ela traz aí, também, algumas funcionalidades, como, por exemplo, uso em cabo UTP, categoria 5 ou superior, compatíveis com as tecnologias AHD, CVI, TVI e CVBS conta também com o conector BNC macho e também a tecnologia push de instalação, que é incrível.

Lembrando que a FC foi a primeira fábrica a trazer essa tecnologia para o Brasil.

A tecnologia slide de fixação também ajuda muito na parte de você fixar o produto, no rack onde você tá instalando na sua instalação, além de ser compatível com o formato de vídeo, PAL-M e NTSC. Isso tudo traz uma supertecnologia e qualidade para o seu projeto.

Pessoal, e lembrando que toda essa tecnologia, essa solução conta, claro, com a garantia FC Fontes, de 24 meses. E ainda, troca expressa.

Bom, pessoal, realmente é uma solução fantástica que eu, particularmente, achei incrível e indico você usar nas suas instalações.

Quer saber onde encontrar um distribuidor perto de você e conhecer toda essa solução da FC, acesse já o site da FC Fontes, www.fontecftv.com.br e siga a FC nas suas redes sociais, a gente vai ficando por aqui, super abraço.

Fonte Multissaída

FC Fontes – Fonte de Alimentação Multissaída para CFTV

Transcrição do Vídeo: Fala pessoal, tudo bem com vocês? Espero que esteja tudo bem.

Hoje eu vim apresentar pra vocês mais um novo parceiro aí da ParkSeg Academy, a FC Fontes.

A FC Fontes fica localizada em Santa Rita do Sapucaí, Minas Gerais, e ela vem desenvolvendo, inovando e desenvolvendo o que há de melhor em fontes, tanto pra CFTV, automação industrial, área hospitalar, notebooks. Então, é uma parceira aí de peso aí entrando na ParkSeg Academy pois a gente consegue, assim, oferecer o que há de melhor pros nossos alunos, aí, na hora da, dos treinamentos em bancada e treinamentos, aí, na cidade ParkSeg.

Uma grande vantagem, também, da, da, das fontes da FC Fontes, é que elas têm 24 meses de garantia e também troca expressa.

Hoje a gente vai conhecer um pouquinho da fonte de alimentação Multissaída, 12V 3A.

Então, vamos ver ela?

Então, detalhe, aquilo que a gente falou ali, 24 meses de garantia e troca expressa, esse aqui é muito importante pra pro instalador, né?

Pra quem tá consumindo esse produto, ter essa garantia. Então, e, inclusive, troca expressa, né? Então, isso é muito importante.

Então, vamos abrir aqui.

Então, essa fonte, ela possui uma proteção total contra curto, tensão, carga e temperatura.

Baixo consumo de energia, ela não esquenta, ela tem o LED indicativo, quatro saídas parafuso né?

E o suporte pra parafusar e a tampa protetora com guia, né? Então, eu tenho a tampa protetora e a guia. Então, aqui fica bem fácil a gente tá manuseando essa fonte e ela é ideal, também, aí, pra sistemas, aplicações, tanto em CFTV, como automação, centrais de alarme, impressoras, videoporteiros, né?

Segurança em geral e também um ela possui a menor interferência que é pra evitar sinais aí de alta frequência, então ela é projetada pra sistemas de vigilância também.

Quer saber mais sobre a FC Fontes acesse o site que está aparecendo ai na sua tela e siga a FC fontes nas redes sociais, a gente se vê no próximo vídeo, valeu!

Fonte de Alimentação: Para que serve o Cilindro no cabo da fonte?

Você já reparou nesse cilindro estranho que fica no cabo da Fonte de Alimentação? Já pensou em abrir ele pra ver o que tem ali dentro?

Pois bem, calma lá, não precisa se arriscar, hoje nós vamos explicar aqui no site pra você o que tem ali dentro e pra que serve.

O nome desse objeto é “Núcleo de Ferrite” ou mais popularmente um “ímã de ferrite”.

Fonte de Alimentação 12V - Fonte & CFTV
Fonte de Alimentação 12V – Fonte & CFTV

O nome por si só já é quase autoexplicativo: dentro desse cilindro existem discos ocos de ímãs de ferrite que possuem propriedades magnéticas. Esse material, feito de óxido de ferro, é capaz de evitar variações elétricas capazes de causar picos de energia no cabo.

Para evitar interferências magnéticas

Tal qual um filtro, por possuir propriedades magnéticas, esse núcleo de ferrite evita que o fio emita radiação ao redor do aparelho, evitando interferências em outros aparelhos.

E se você já deixou seu celular próximo a uma caixa de som e, após receber uma chamada ou na busca por conexão de rede, ouviu aqueles barulhinhos irritantes saindo dos alto falantes?

Então, isso é causado pelo fato das caixas não terem um bom isolamento. O Núcleo de Ferrite existe para evitar essas interferências.

Núcleo de Ferrite
Núcleo de Ferrite

O Cilindro na Fonte de Alimentação diminui as probabilidades de o seu aparelho sofrer qualquer tipo de interferência, entretanto, nem ele pode garantir de forma categórica que isso não vá acontecer. Isso porque há outros fatores a serem considerados, ele é uma medida a mais de de segurança em seus aparelhos.

Você também pode encontrar este item em cabos VGA de monitores, controles de vídeo games entre outros eletrônicos.


Se ainda assim você quiser diminuir as chances de um cabo causar interferência, saiba que é possível comprar esse tipo de peça de maneira avulsa em lojas de eletrônicos e instalá-lo por conta própria.

Já falamos em outro artigo sobre a Alimentação do sistema de cftv e porque a utilização de cabos e conexões adequadas e de alta qualidade, bem como a correta ligação entre os diversos equipamentos do sistema permite o funcionamento desejado e eficiente do sistema.

Quer saber mais sobre a importância de escolher boas fontes de alimentação? Entre em contato com nossa equipe e tire todas as suas dúvidas.

E-BOOK: CHECKLIST – CÂMERA PAROU DE FUNCIONAR E AGORA?

Uma das coisas mais complicadas que os técnicos e instaladores enfrentam é descobrir porque a câmera não funciona ou pararam de funcionar.

Isso pode se agravar se não foi você que fez a instalação das câmeras de segurança no local em que vai fazer o diagnóstico para identificar a causa do porque não funcionam mais. Por ser tantas coisas que acarretam na perda de vídeo que criamos um CHECKLIST para que você faça esses testes e detecte o problema.

Se você quiser saber mais sobre esse tema, baixe agora nosso e-book gratuito! Fique atento aos conteúdos especializados para instaladores no nosso blog.

Principais acessórios para CFTV

São necessários acessórios para CFTV de qualidade para que um projeto tenha uma perfeita performance, e essa a escolha não se limita a bons modelos de câmera e uma conexão veloz à internet.

CFTV ou circuito fechado de televisão é o nome dado ao conjunto de tecnologias que permitem a captação, processamento, transmissão, armazenamento e monitoramento de imagens, sendo que, toda esta experiência de uso aconteça de maneira local ou remota utilizando-se da internet com ou sem fio para este acompanhamento externo das imagens.

Os principais acessórios de CFTV

Câmera – Este equipamento é sem dúvida o protagonista de toda a solução de CFTV, uma vez que, é a câmera que possibilita a captação das imagens no cenário que pretendemos monitorar. É composta por um sensor de imagem que, através de uma matriz, realiza a conversão da luz em elétrons para a devida condução nos circuitos eletrônicos do equipamento. Existem dois principais modelos de sensores, o CCD e o CMOS.

Existem vários tipos de câmeras para diferentes aplicações, algumas para uso interno, outras para uso externo, algumas para fixação em paredes e ainda outras para fixação no teto.

Também é importante lembrar que, cada câmera vai nos entregar diferentes aproveitamentos de cena e tamanhos de imagem dependendo da lente que está sendo usada e da resolução do qual o equipamento está operando uma vez que a abertura da lente e a abertura do sensor configura diferentes ângulos de visão para a montagem da imagem. A resolução vai ditar qual é o aproveitamento de cena especialmente quando precisa-se dar o zoom (aproximação) em algum ponto do vídeo. Nessa situação pode-se ter maior ou menor percepção e identificação de detalhes.

Gravador de imagem

Para que se possa manter um histórico das imagens geradas pelas câmeras para consulta se faz necessário gravar e armazenar estas cenas. Para isso conta-se com os gravadores de imagem para CFTV que, durante sua evolução foram desenvolvidas em várias categorias como DVR, NVR, HVR.

Ainda a respeito dos gravadores de imagem, é importante destacar que deve-se usar um HD apropriado para CFTV, uma vez que, um HD convencional para desktops não entrega a eficácia necessária que garante a fidelidade das imagens captadas causando erros e até exclusão de frames.

Cabeamento para CFTV

O meio adequado de transmissão é necessário para que as imagens captadas pelas câmeras cheguem até o dispositivo de gravação e armazenamento com o mínimo de perda possível independente da distância considerada entre os ativos, podendo ser meios de transmissão cabeados e até mesmo sem fio como será visto a seguir:

O Cabo coaxial – É usado em instalações de CFTV em que se utilizam câmeras analógicas. Ele é composto pelo condutor que é o elemento responsável pelo tráfego dos dados, pelo dielético que serve para isolar o material condutor, a malha que realiza a blindagem do cabo protegendo-o contra interferências e por fim a capa que complementa com a proteção das outras camadas do cabo coaxial.

É importante também entender que o cabo coaxial é desenvolvido em diferentes bitolas, ou espessuras do condutor que vão interferir diretamente na distância da qual o cabo terá desempenho o suficiente para transmitir determinada quantidade de dados.

O cabo par trançado – É famoso pelo seu uso em conexões de rede, erroneamente chamado de Cabo UTP, pois essa nomenclatura não se refere ao nome do cabo em si, mas em uma de suas formas de fabricação como FTP e STP, por exemplo. O cabo par trançado leva este nome, pois sua construção se dá por 4 pares de fios conectivos que são trançados para cancelar as interferências eletromagnéticas entre si.

É geralmente usado em infraestruturas de CFTV-IP, mas também podem ser usados para câmeras analógicas desde que seja usado um acessório para CFTV chamado Balun que faz o casamento da impedância do cabo par trançado para a conexão coaxial da câmera.

Esses cabos apresentam uma ampla variedade de aplicações, sendo adaptáveis à interfonia, à informática e, principalmente, em projetos de rede para CFTV IP e versões analógicas que operem com HD, e Full HD. Além disso, são compatíveis com sistemas HDCVI, AHD, HDCVI.

Cabeamento para CFTV

Ao escolher o cabeamento, é preciso escolher também os conectores a serem utilizados. Em geral utiliza-se a conexão ponto-a-ponto, onde a câmera é ligada diretamente no equipamento de gravação, existem outras formas, como falamos acima, tudo depende da estrutura e tecnologia a ser utilizada.

Assim como os cabos, há dois tipos de conectores mais utilizados nos sistemas de CFTV, os chamados de borne, e os do tipo solda. Falamos sobre os tipos de conectores no artigo anterior.

Os conectores geralmente são utlizados em pares de VIDEO + ALIMENTAÇÃO, assim comumente vemos um conector BNC e um conector P4 em uso nesses tipos de sistema.

Outros importantes acessórios para CFTV

Caixas de Sobrepor também são itens importantes em um projeto de CFTV, elas ajudam na organização das fontes e conectores, além de mantê-los seguros e vedados, evitando que sejam acometidos por agua, fuligem e outros danos externos.

Cada sistema irá exigir um acessório diferente, alguns terão microfones, outros mesas para controle de Speed Domes, ligações com alarmes, centrais, e muitos outros. As baterias e pilhas por exemplo, são de uso geral, como em alarmes e cercas elétricas.

Agora que você já conhece os principais acessórios para CFTV e também os passos para elaborar um projeto, entre em contato e conheça a linha de acessórios para CFTV da FC.

Pilhas e Baterias: Conheça os principais tipos

Pilhas e baterias tem o mesmo princípio de funcionamento, gerando energia por meio de uma reação química. Além da diferença de tamanho e formato, as pilhas possuem um outro diferencial que costuma deixar as pessoas em dúvida sobre qual adquirir, estamos falando da tecnologia das pilhas, por isso vamos explicar cada uma das principais tecnologias utilizadas.

Pilhas e Baterias são comumente utilizados em sistemas de CFTV, para alimentação de diversos acessórios, nesse artigo listamos os principais tipos e suas peculiaridades.

Tipos Pilhas e Baterias

Comum:
Conhecida como “comum”, essa tecnologia baseia-se na transferência de elétrons de um metal para outro e quando os polos positivo e negativo da pilha são acionados acontece uma reação e o polo positivo libera elétrons que atravessam o circuito liberando a energia.

A pilha comum costuma ter baixo rendimento e por isso é mais indicada para aparelhos com baixo consumo, com controle remoto, relógio e alguns brinquedos.

Exemplo: Pilha Comum

Na imagem acima temos os 2 eletrodos, sendo que o positivo (barra de grafite) é chamado de catodo, e o negativo (Zinco), de anodo. Essa barra de grafite é envolvida por vários materiais, como carvão, dióxido de manganês e uma pasta úmida, que na pilha comum é feita com Cloreto de Amônio (NH4CL), Cloreto de Zinco (ZnCL2), sais de caráter ácido e água.

Esse tipo de pilha geralmente fornece um valor baixo de corrente, sendo indicado para uso em aparelhos como relógios de parede, controle remoto e brinquedos.


Alcalina:
A pilha alcalina possui o mesmo princípio da pilha comum, mas utiliza uma pasta úmida (hidróxido de potássio) para auxiliar na transferência de elétrons, gerando uma quantidade maior de energia e por isso possui um rendimento maior que a pilha comum, suportando por mais tempo equipamentos que consomem mais como lanterna , rádio portátil e etc.

Pilha Alcalina 23A Fonte CFTV

Essa substância realiza a transferência de elétrons com mais facilidade, armazenando uma maior quantidade de energia e consequentemente por um tempo maior do que em pilhas e baterias comuns.

Assim, as pilhas alcalinas tem em média entre 50 e 100% à mais de energia do que as pilhas comuns, sendo indicadas para equipamentos como players de CD/DVD, MP3, rádios, lanternas e câmeras digitais.

Conheça nossa Bateria Alcalina 12V 23A.

Lithium:
Essa tecnologia é encontra em baterias, e são conhecidas como bateria de lithium ou lítio e seu formato mais comum é o popularmente conhecido como tipo moeda. 

Bateria de Litio CR2032 – 3V


Essa bateria possuem o polo negativo (ânodo), polo positivo (cátodo), separador (que separa os polos sem impedir a passam do íons de lítio) e o eletrólito (que é o responsável pela transferência dos íons).

Geralmente essas baterias são para balança, relógio de pulso e para alguns tipos de controle remoto.

Clique aqui e saiba mais sobre a Bateria de Litio CR2032 – 3V da Fonte CFTV.

Bateria de Níquel Cádmio

bateria de Níquel Cádmio foi o segundo tipo de bateria recarregável a ser desenvolvido. Nela, os pólos positivo e negativo estão no mesmo recipiente, com o positivo (anodo) coberto de hidróxido de níquel, e o negativo coberto de material sensível ao cádmio, ambos isolados por um separador. Os dois pólos são envolvidos por uma substância eletrolítica, geralmente uma solução de Hidróxido de Potássio.

Baterias Níquel Cadmio NiCd

Essas baterias eram muito utilizadas em telefones celulares e telefones sem fio, e foram gradualmente sendo substituídas por baterias de hidreto metálico de níquel (NiMH), ou de Ion-Lítio.

Baterias de Níquel Cádmio são cada vez mais raras de se encontrar, pois além de muito poluentes, tem menor capacidade de armazenamento e menor vida útil, além de sofrer de um problema chamado “efeito memória”. Nessa bateria, o ideal é que ela seja completamente descarregada antes de uma nova recarga.

Baterias de Ion-Lítio

bateria de Ion-Lítio, também conhecida como Li-Ion, é um tipo de bateria recarregável muito utilizada em equipamentos portáteis, como telefones celulares e câmeras digitais, armazenando o dobro de energia de uma bateria de hidreto metálico de níquel (ou NiMH), e três vezes mais que uma bateria de Níquel Cádmio (NiCd).

Uma das grandes vantagens desse tipo de bateria é a ausência de “efeito memória”, ou seja, você não precisa esperar que a bateria esteja totalmente descarregada para efetuar uma nova recarga. A bateria de Ion-Lítio suporta centenas de ciclos de carga/descarga.

A bateria de Ion-Lítio também é bastante leve e segura, por ser hermeticamente fechada, e tem uma durabilidade aproximada de 3 anos, quando começa a perder a eficiência. Cuidados especiais devem ser tomados com esse tipo de bateria, pois ela é extremamente sensível ao calor.

Baterias de Íon-Polímero

As baterias de ion-lítio fazem parte do grupo de baterias que podem ser recarregadas! Por possuir quase que o triplo do armazenando de energia de uma bateria de níquel cádmio, elas são as mais utilizadas atualmente em equipamentos como celulares e câmeras digitais por exemplo.

baterias de ion-lítio

A principal vantagem deste tipo de bateria é que você não precisa esperar que ela descarregue totalmente para dar uma nova recarga. Exatamente por isso que elas suportam centenas de ciclos de carga/descarga, podendo durar cerca de 3 anos funcionando perfeitamente, desde que seja usada corretamente.

Tome bastante cuidado, pois esse tipo de bateria é extremamente sensível ao calor! Portanto, se essa bateria ficar exposta muito tempo ao sol ou em locais quentes, a sua eficiência vai ser reduzida consideravelmente, ou até perder totalmente a capacidade de manter carga.

Bateria Selada

Na bateria selada, é adicionado 0,07% de cálcio aos eletrodos de chumbo, o que diminui drasticamente a decomposição/perda de água. Além disso, essas baterias geram oxigênio no eletrodo positivo e hidrogênio no negativo, que se combinam para formar água.

Quando a bateria é selada, normalmente é adicionado um pouco de cálcio aos eletrodos de chumbo, visando diminuir consideravelmente a decomposição/perda de água. Outro fator importante, é que essas baterias normalmente geram oxigênio no seu eletrodo positivo e hidrogênio no seu eletrodo negativo, que se combinam para formar água.

Bateria Selada 6V 12A
Modelo de Bateria Selada

Estes fatores dispensam a manutenção periódica e fazem com que as baterias permaneçam com o mesmo nível de água durante praticamente toda a sua vida útil, que pode variar entre 2 a 5 anos.

Porém, é necessário evitar todas as condições que provoquem sobrecarga! Se isso acontecer, basicamente toda a água da bateria pode ser perdida, ou seja, a bateria vai precisar ser inutilizada, gerando um enorme prejuízo financeiro.

É sempre bom frisar que as baterias seladas podem fornecer uma corrente elétrica muito maior, quando comparadas com as baterias comuns. Por isso, elas são as mais indicadas para condições específicas como por exemplo, nobreak, automóvel, sistema de iluminação, equipamento hospitalar e sistema de alarme.

Agora que você já sabe a diferença entre os principais tipos de pilhas e baterias, conte-nos se ainda tens alguma dúvida.

Alimentação do sistema de CFTV e sua importância

A Alimentação do sistema de cftv é um item de fundamental importância no sistema de CFTV, além da instalação e sua manutenção. É necessário planejar, se possível, a instalação do sistema totalmente independente, principalmente o de alimentação, utilizando baterias auxiliares, para no caso de uma interrupção de energia, o sistema não ficar inoperante. A utilização de cabos e conexões adequadas e de alta qualidade, bem como a correta ligação entre os diversos equipamentos do sistema permitirá o funcionamento desejado e eficiente do sistema.

Qual a melhor maneira de alimentar seu sistema de cftv ?

Ligando a sua fonte de alimentação individual ou uma fonte centralizada para todo seu projeto. Tudo depende da necessidade do cliente e estrutura em que se encontra nele.

Para um bom funcionamento da alimentação do sistema de cftv, você terá que usar uma boa fonte e cabo especifico para essa solução, para se obter o resultado desejado.

Alimentação individual para CFTV

Alimentação individual é uma das maneiras mais simples para alimentar uma câmera de CFTV, uma das vantagens deste tipo de alimentação é dedicar uma amperagem correta para cada câmera.

Porém sabemos que o CFTV ainda está longe de ser uma prioridade no processo de projeto e construção de imóveis, para que seja usada fontes individuais de maneira adequada é necessário que exista alimentação elétrica em todos os pontos onde serão fixadas as câmeras e isso na maioria dos imóveis não existe.

Solucionar a falta de pontos de energia pode acarretar gastos com eletricistas para puxar novos pontos de energia, este custo a mais muitas vezes pode encarecer projetos e inviabilizar fechamento de negócios.

Uma outra maneira de resolver o problema de alimentação é o próprio profissional de CFTV ampliar a rede elétrica e levar  alimentação mas isso não é indicado a não ser que o profissional de CFTV tenha conhecimento e qualificação para tal tarefa. Mesmo o profissional de segurança eletrônica tento qualificação para serviços de eletricista isso pode ser moroso não compensar financeiramente.  

Se pode existir um gasto maior a infraestrutura elétrica também é possível que seja economizado com o cabeamento já que cabos que não levam alimentação geralmente custam menos.

Alimentação Centralizada

A alimentação centralizada surgiu para eliminar alguns problemas que eram constantes em instalações de CFTV, como o problema que vimos da falta de infraestrutura elétrica.

Alimentar o sistema de CFTV com uma única fonte mais potente da liberdade para o instalador de CFTV para que não se limite e instale as câmeras nos locais de real necessidade do cliente sem ser limitado pela alimentação.  

A agilidade de usar alimentação centralizada pode ser um diferencial do profissional de CFTV, que vai conseguir em suas propostas profissionais ter um prazo de entrega menor que seus concorrentes.

Além de liberdade para posicionar as câmeras e agilidade na instalação o aspecto mais importante da alimentação centralizada é a segurança do CFTV, essa segurança é ampliada com a possibilidade de uso de um Nobreak que vai garantir o funcionamento do CFTV em momentos de falta de alimentação.

A Fonte CFTV possui soluções de Alimentação do sistema de CFTV que auxiliam na organização e proporcionam a alimentação centralizada, tanto com cabo coaxial como com cabo de rede.

E você profissional de CFTV qual é a melhor maneira que encontrou de alimentar seus projetos? Quais obstáculos fazem você optar por um ou outro tipo de alimentação? Deixe seu comentário!

7 Passos para elaborar um eficiente projeto de CFTV

Quando falamos em projeto de CFTV logo pensamos na sua complexidade, já que tem tanta tecnologia disponível no mercado e tantas opções diferentes de câmeras, acessórios para selecionar e comparar.

Quer saber como montar um projeto de CFTV eficiente? Neste post, vamos explicar os principais pontos sobre as tecnologias existentes no mercado e apresentar 7 dicas de como fazer isso da maneira correta. Confira!

1- Defina o objetivo do projeto

Alguns projetos são para monitoramento residencial e outros a nível empresarial ou industrial. Entenda as principais motivações e identifique as expectativas para se desenvolver uma solução aderente às necessidades do projeto.

Um projeto de CFTV pode ser idealizado baseando-se em diversos fatores, no caso de um projeto empresarial, a atividade da empresa , o formato de visualização ou mesmo em atendimento a uma legislação vigente.

O objetivo pode ser atender a uma necessidade específica, como segurança de um perímetro em uma residência, coibir a incidência de furtos, monitorar processo produtivo de uma determinada máquina em uma empresa, acompanhar entrada e saída de veículos no estacionamento,  utilizar funções de monitoramento de temperatura das pessoas que estão acessando a entrada da empresa, fazer contagem das pessoas (esses dois últimos itens muito solicitados pós pandemia) além da função da segurança em si.

2- Não se esqueça do Armazenamento

Para quem está prestes a investir em um sistema de CFTV, a gravação e o armazenamento das imagens obtidas são fundamentais. Seja para auditorias, melhorias de processos, investigação de ocorrências ou exigência legal, se as imagens não forem bem armazenadas, minutos preciosos de gravação do CFTV podem ser perdidos.

3- Defina do local e posicionamento das câmeras de segurança

Uma câmera de segurança pode ser utilizada com o objetivo de obter uma visão geral de uma grande área, de maneira que se consiga visualizar de forma superficial as movimentações de uma cena. Possivelmente, será instalada em local alto e livre de obstáculos.

Havendo a necessidade de identificar indivíduos ou obter detalhes mais precisos, a câmera ficará posicionada mais próximo da cena. Essa condição também se aplica para a maioria dos casos onde se utiliza analíticos de imagens.

O local e o posicionamento são informações relevantes na definição dos requisitos desejáveis para as câmeras.

Exemplo posicionamento Câmeras de CFTV

4- Definição das câmeras para o projeto de CFTV

Qual tipo de câmeras é melhor? Analógicas, IP ou ainda um CFTV misto? A resposta é: depende.

As características dos projetos são distintas e trazem diferentes benefícios e desafios. Por exemplo, enquanto em um projeto IP é necessário se preocupar com a qualidade da rede, em um projeto com câmeras analógicas, o cabeamento de transmissão entre câmeras e DVR’s é o foco. Assim, quanto maior a distância entre as câmeras e a base, mais complexa será a preparação do cabeamento para o projeto, que, em contrapartida tem em geral menor custo e implementação mais rápida.

Caso opte pelo Sistema de CFTV IP, esse necessita de uma rede Ethernet implantada no local. Caso tenha uma rede em funcionamento que será compartilhada com as câmeras, verifique se essa rede possui condições de manter todos os sistemas em funcionamento. O administrador da rede deve participar dessa etapa.

  • Existem portas livres nos switches para as câmeras novas?
  • O Switch irá suportar esse novo tráfego?
  • É PoE? Já falamos sobre alimentação PoE anteriormente.
  • Possui capacidade para alimentar as câmeras?

Caso não tenha uma rede implantada, elabore um novo projeto e complemente os documentos anteriores (lista de materiais e planta baixa).

Importante: Protetores de surto e sistema de aterramento não devem ser esquecidos.

As variáveis são muitas e, por isso, é preciso encontrar um equilíbrio entre objetivos e recursos.

5- Definição do Software de Monitoramento

O software de vídeo monitoramento (VMS) fornece as funcionalidades para gerenciamento do sistema de CFTV, efetuando a gestão de todas as câmeras independente do fabricante, permitem definir o envio para diferentes formas de armazenamento a partir da integração com centenas de diferentes dispositivos e cloud computing, além da padronização de ações e automação de eventos que facilitam a operação e as rotinas do operador.

Exemplo de Tela de VMS

6- Defina a central de monitoramento

Esse é o coração do sistema, e como todo coração deve estar protegido e funcionando bem. Alguns pontos devem ser respeitados:

  • Utilizar servidores: Esses equipamentos foram desenvolvidos para trabalhar 24 horas por dia, como o seu sistema de segurança, e devem ser dedicados para esse uso, ou seja nunca deve ser compartilhado com outra aplicação.
  • Ambiente refrigerado: O servidor deve estar condicionado em racks e em ambientes refrigerados, nunca devem ser instalados em portarias, embaixo de mesas ou dentro de armários. Altas temperaturas são as maiores causas de defeitos nos sistemas.
  • No break:
    Além das câmeras, a central de monitoramento também deve funcionar em situações de falta de energia, dimensione o sistema de nobreak para manter todos os equipamentos em operação durante as falhas.
  • Mobiliário técnico:
    Centrais de operações não irão durar se utilizado móveis de escritório, o correto é a utilização de mobiliário técnico que possui durabilidade para garantir a operação por longos períodos.

7- Última decisão do Projeto de CFTV: Infraestrutura física e de rede

A infraestrutura garante que as câmeras, servidores e todos os dispositivos possam ser conectados e suportados. É importante neste passo, avaliar todos os pré-requisitos para atender a demanda do VMS, do Storage, das portas de rede no switch, regras de acesso aos usuários ao sistema, capacidade de processamento dos analíticos, fazendo todos os cálculos necessários para que o sistema de CFTV possa trabalhar sem qualquer gargalo gerado pela falha de levantamento da infraestrutura. 

Verificar se a rede suporta requisitos de alimentação para os dispositivos com suporte a Power Over Ethernet (POE) e configurações avançadas de qualidade de serviço (QoS) e Redes de Área Local Virtuais (VLANs).

A infraestrutura física e de cabeamento de rede deve suportar a tecnologia e estar instalada conforme estabelecido pelas normas, garantindo a segurança e integridade do sistema. Quem diria que definir a infraestrutura seria o último passo para o seu projeto de CFTV?

Criar um projeto de CFTV não é mesmo uma tarefa fácil, mas dividir bem as etapas em um plano de ação aliando as principais necessidades e características dele é uma forma de começar. Um planejamento rico e as ferramentas corretas vão permitir o bom andamento do projeto do início ao fim. Especialistas na área também são importantes na hora de conduzir os trabalhos.

Ficou com alguma dúvida sobre projetos de CFTV? Fale conosco que ajudaremos a encontrar a melhor solução!

Câmera não funciona e agora? Checklist CFTV

Câmera não funciona e agora? Checklist CFTV.

Uma das coisas mais complicadas que técnicos e instaladores enfrentam é descobrir porque a câmera não funciona ou pararam de funcionar.

Isso pode se agravar se não foi você que fez a instalação das câmeras de segurança no local em que vai fazer o diagnóstico para identificar a causa do porque não funcionam mais.

Por que a câmera não funciona ou parou de funcionar?

Por ser tantas coisas que acarretam na perda de vídeo que criamos um CHECKLIST para que você faça esses testes e detecte o problema.

Conectores com problemas

Você pode ter usado diferentes tipos de conectores como por exemplo:

  • Balun
  • BNC de Borne
  • BNC de mola

Primeiramente confira se não tem conectores com oxidação ou enferrujados e troque-os.

Como o custo desses tipos de conectores são baixos considere trocar todos, na ponta da câmera e no DVR.

Não chega a alimentação de 12 volts pelo cabo

A câmera não funciona e um teste simples que você pode fazer logo no início é verificar se está chegando 12 volts diretamente pelo cabo.

Se você notar que não está chegando os 12 V DC (12 volts continuo/ direct current) e seja zero ou menos do que o fabricante recomenda já considere trocar a fonte.

Pode ocorrer também de a câmera funcionar corretamente enquanto não estiver usando o Infravermelho e depois de ativado ocorre a perda de vídeo ou imagem ruim, fora do normal.

Isso geralmente ocorre quando a fonte não está conseguindo mandar a corrente adequada para a câmera.

Faça o teste colocando uma fonte local somente para essa câmera que não está funcionando. Falamos no artigo anterior sobre Como escolher a fonte ideal para seu aparelho.

Isso também pode indicar outro problema caso não esteja chegando a alimentação corretamente.

Fonte danificada ou com mau funcionamento

Em boa parte dos casos a fonte pode estar com problema ou até parou de funcionar.

Nesse caso faça um teste direto na câmera com multímetro ou amperímetro para ver se ela está mandando a tensão adequada.

Se estiver chegando menos do que é indicado pelo fabricante, por exemplo 11 volts, verifique se a fonte tem a opção de ajustar a tensão de saída e se necessário aumente-a. Um exemplo é a fonte colmeia chaveada que possuem essa opção de regulagem de tensão.

Caso não esteja chegando os 12 volts troque a fonte por uma outra e veja se a câmera volta a funcionar.

Testar continuidade do cabo

Esse também é um dos principais fatores que fazem com que as câmeras parem de funcionar.

Dependendo do modo que foi instalado o cabo pode estar danificado em algum ponto entre a câmera e o DVR.

Um teste simples que você pode fazer é testar a continuidade do cabo, veja como no vídeo abaixo:

Seguindo o que o vídeo explica você vai detectar se o cambo rompeu e decidir se vai fazer uma emenda ou trocar ele todo.

Já fez os testes descritos acima e ainda não achou o problema? Ele pode ser mais simples e fácil do que imagina.

Checar a emenda do cabo

Parece obvio, mas muitas vezes você não sabe que aquele cabo coaxial ou UTP possui uma emenda, principalmente se não foi você que instalou o sistema de CFTV.

Procure por uma emenda e veja se está tudo bem com o cabo e se não tem problemas de umidade, oxidação que podem danificar o cabo.

Analisando isso você pode tomar a decisão de trocar uma parte, todo o cabo ou somente refazer a emenda cortando a parte que está ruim.

Não se esqueça de deixar a malha distante do fio do vídeo.

Verificar tecnologia da câmera

Hoje no mercado temos diversas tecnologia embarcadas nas câmeras:

  • HDCVI
  • HDTVI
  • AHD
  • CVBS

Essas indicadas são as tecnologias mais usadas atualmente e provavelmente você já se deparou com algumas delas.

Você pode fazer uma verificação na própria câmera se ela se encontra na tecnologia certa que é compatível com DVR. Em alguns modelos simplesmente alterando o jumper você muda a tecnologia da câmera.

Canal do DVR está com problemas

Outra dica simples mais que pode passar desapercebido pelo técnico/instalador é se o canal do DVR está funcionando.

Isso não é tão recorrente como os tópicos indicados acima, mas pode ocorrer.

E para testar é muito simples:

  1. Desconecte um BNC de um canal em que a câmera está funcionando
  2. Conecte no canal em que você suspeita que está com problemas
  3. Se funcionar corretamente essa câmera então descarte a possibilidade de o canal estar danificado
  4. Caso ocorra de a câmera não funcionar, então você identificou que o canal parou de funcionar no DVR.

Nesse caso você analisa se é preciso trocar o aparelho ou usar algum canal que está vago.

Colocar câmera nova

Novamente, está em uma das maneiras mais fáceis de encontrar o problema no sistema de CFTV em que você está diagnosticando.

Mesmo que você troque por uma câmera nova e ela funcione, não descarte os outros testes indicados já que pode ocorrer de ela funcionar por um tempo e depois aparecer perda de vídeo novamente.

Isso é um cuidado que temos que ter porque se você fizer os outros itens indicados da checklist pode ocorrer de a câmera antiga voltar a funcionar.

Câmera perde vídeo e volta ao normal depois de um tempo

O sistema que você implementou ou está fazendo manutenção funciona normalmente, mas quando passo um tempo certa câmera da perda de vídeo?

Uma possível causa seria algum dispositivo elétrico que quando acionado causa interferência temporária nas câmeras. Como exemplo posso citar a botoeira do portão basculantes ou deslizantes quando é acionado.

Isso ocorre pelo erro cometido na instalação de passar os cabos do sistema de CFTV junto ou bem próximo dos cabos elétricos do portão.

Outro problema bem popular é muitos instaladores passarem na mesma tubulação em que passa a rede elétrica.

Isso causa problemas por causa da indução que é gerada pelos cabos onde passa a energia elétrica.

O que é Indução?

“A indução eletromagnética é o fenômeno no qual um campo magnético variável produz em um circuito elétrico uma corrente elétrica chamada de corrente elétrica induzida.

SILVA, Domiciano Correa Marques da.  “A indução eletromagnética”; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/fisica/a-inducao-eletromagnetica.htm”

Veja mais sobre indução no vídeo abaixo que mostra a dúvida de passar cabo de rede (UTP) com cabos elétricos:

Essas são as principais causas que ocorrem quando a câmera não funciona ou quando as câmeras param de funcionar. Não se esqueça que é sempre importante optar por produtos de qualidade e com garantia. Se ainda tiver mais alguma dúvida ou dica por favor deixe um comentário!